Noivado Fernanda + Tarcísio

O primeiro pensamento que vem quando, nós fotógrafos, chegamos num lugar deslumbrante, e a iluminação é quase zero, para fotografar é:

“..que desperdício.. um lugar tão rico e sem luz, e ainda um evento feito a noite… porque não de dia?? As fotos ficariam muito mais bon.. ops..”

Pera lá… Porque sempre temos que achar que se fosse de outro jeito, ficaria melhor?

Lógico que precisamos dar o melhor de nós em tudo que fazemos…

Mas, expressar o melhor também é preciso. Sentir o melhor… Captar todas as melhores emoções..

E o melhor é o que está diante de nós, naquele momento, chamado PRESENTE.

É pra isso que eu trabalho todos os dias. Não só pela luz PERFEITA (que sim, é o que sempre busco) mas pelo momento perfeito.

Quando a iluminação as vezes não nos agrada, ou o local não é assim tão maravilhoso, desanimamos?

Muitos desanimam.

Mas existe algo mais… existe algo que nem a luz mais perfeita, nem lugares lindos, nem espaços cinematográficos conseguem captar: as emoções.

Pode estar um dia de sol fantástico, se você não sentir o momento, não conseguirá fazer ninguém sentir nada.

Vejo tanta foto incrível por aí, perfeita. Mas não sinto nada, absolutamente nada quando vejo.

E fotografia foi feita apenas para congelar um momento?

Não, pelo menos pra mim, não!

Fotografia foi feita para reviver um momento. Estar ali novamente, sentir. Sentir!

E foi assim que, mais uma vez aprendendo, eu cliquei um dos momentos mais importantes pra mim: o noivado da minha irmã, Fernanda.

Era como se eu não estivesse ali, mas estivesse totalmente ali. Era como se eu não fosse parte, mas fazia toda a parte.

Algo totalmente diferente, que me fez entender que o observar vai muito além dos olhos.

Observar é sentir.

Por acaso alguém consegue sentir a poesia que há ser pego de surpresa por uma chuva daquelas?

Mas se você fechar os olhos e sentir, o tocar das gotas, verá muito mais do que imagina.

Até o arrepio daquele friozinho da água molhada tem significados. Basta fechar os olhos.

E como fotografar de olhos fechados?

Já ouviu falar na voz do coração?

Pois é.. ela só fala quando fechamos os olhos.

Não no sentido denotativo da palavra, mas quando deixamos o fato de refletir o que está do lado de fora tocar a retina dos nossos olhos, também tocar as batidas do nosso coração.

Nunca você vai estar na escuridão, se conseguir fazer isto. Um pingo de luz, revela coisas imensuráveis!

E o mais mágico de tudo isso, é que a gente começa a ver a verdadeira beleza de tudo, que não tem nada a ver com a beleza que o mundo dita por aí.

Quando realmente amamos, as realizações de quem amamos, são a nossa própria felicidade.

E felicidade não se vê, se sente!

Sinta!

 

Anúncios