Delicadeza que ensina {Compartilhando!}

Eu sou assim: se não percebo, não vivo.

Por isso, sou feita de curiosidade, de atenção, de buscas, de significados…

E quero compartilhar algo muito precioso hoje, em meio de tantos outros posts queridos, dos quais faço parte de vidas tão especiais.

Hoje é a minha própria vida que quero compartilhar.

Outro dia, passei por uma banca de flores. E meus olhos que normalmente se encantam com as margaridas, foram fisgados por uma flor que eu nunca tinha visto antes.

Ciclame.

Nem mesmo o nome dela eu conhecia até então.

O que eu achei mais interessante, é que a flor dessa planta, é ao contrário.

Normalmente as flores e seu miolo apontam para cima, para o céu. A Ciclame, aparentemente, aponta para baixo.

Mas como tudo na vida, é uma questão de perspectiva.

Para conseguir ver a flor da Ciclame como eu vejo todas as outras, eu preciso abaixar e olhar ela por baixo.

Aí vem a primeira coisa linda que Deus me ensinou. Precisei abaixar para ver ela como vejo todas as outras.

Coloquei ela sobre uma mureta, e agachei. Lá de baixo, eu contemplei toda a sua beleza, como eu via em todas as outras flores, só que por cima.

Acho que contar tudo o que eu aprendi sobre humildade neste momento, é um pleonasmo. Vou deixar para você refletir.

A outra coisa: quando observei ela por cima, percebi que suas pétalas apontam para cima. Muito curioso mesmo!

Enxergo a haste que segura a flor, e as pétalas, como se a própria haste (a base de baixo de todas as demais flores), fosse o miolo.

Lindo. Rico. Exótico. Inspirador.

Nisso Deus falou comigo novamente: normalmente sempre observamos a beleza, e esquecemos de buscar a base. O que sustenta. O que segura.

E essa florzinha tão pequena e linda, me fez pensar muito nisso! Ela exibe sua base como exemplo para nós não esquecermos disso jamais.

A terceira coisa que aprendi?

Foi surpreendente.

Com o miolo apontando para baixo, a flor guarda seu maior tesouro. Seu pólen, sua própria vida.

E dessa forma, ela mantém esse segredo que está disponível para ser revelado, somente para quem se abaixa para vê-lo.

Somente para quem se dá a chance de dobrar os joelhos para observar. Somente para quem está disposto a realmente procurar a essência.

Quantos de nós fazemos isto hoje em dia?

Quantos de nós escolhemos deixar as aparências e realmente nos esforçamos para buscar o essencial?

A maioria das pessoas vê o trabalho, e esquece a recompensa.

O superficial para estas pessoas, vale mais do que a busca verdadeira.

Mas o que importa, no final das contas, é que o que a gente busca na sua  essência, é o que vai ficar forte.

Reflita nisso.

Porque fazer parte, não é só participar. Mas viver cada lição que Deus e a vida nos ensinam.

Que tal começar agora mesmo?

Anúncios