Erika + Ricardo esperando Rafael {Ensaio Gestante} | Bauru-SP

GESTANTE ERIKA (89)

Agora me diga: como é que você pode amar tão intensamente alguém que nunca viu, nunca ouviu a voz, nunca soube nada a respeito?

Como que alguém pode amar uma pessoa só pelo fato de saber que ela existe?

A Erika e o Ricardo me ensinaram muito.

A gente sempre acha que o amor é um sentimento (seja ele por amigos, namorado, marido, etc), que aparece quando dá aquele click ou pela convivência.

Mas como uma mãe e um pai podem amar um filho o qual, as vezes, ainda nem existiu, está apenas em sonhos, e desde a fecundação já é a pessoa mais amada deste mundo?

Não é preciso tempo. Não é preciso convivência. O amor não é um sentimento. E a convivência só nos ensina a amar mais.

Mais uma lição linda: o amor é a atitude de dispor-se por inteiro.

A gente ama a partir do momento em que fazer o outro feliz, é a razão da nossa vida.

Eu não sinto o amor. Eu me disponho à ser total para o outro.

Por isso, eu posso amar qualquer pessoa, a qualquer momento, quando sou o meu melhor para ela.

Ainda não sou mãe. Mas só pelo olhar desses dois queridos, eu pude aprender tudo isso.

Dentro da Erika se forma uma vida. Uma nova vida que ela nem imagina como será, do que o Rafael vai gostar, de como ele vai ser como ser humano.

Mas ela o ama. O Ricardo, o pai, o ama. Incondicionalmente.

Porque o amor é o ato mais lindo de coragem. O amor é simplesmente você permitir que o outro more dentro de você.

O amor é abrir as portas da sua casa para dividir e compartilhar tudo com alguém que veio para somar.

É ser você. Completo, mesmo que incompleto, para outra pessoa.

É uma atitude de imersão total no mundo da outra pessoa, seja ela quem for.

Eu não sinto amor. Eu amo. 

Sou eu quem decido tudo o que posso fazer por alguém, tudo o que posso ser para alguém tudo o que alguém vai ter de mim.

A eterna capacidade de amar quem ainda nem conhecemos, nos faz grandes o suficiente para gerar vidas.

E gerar uma vida, seja uma criança, ou seja dentro de um coração que foi despedaçado, é o maior milagre que existe.

Fazendo parte, a gente aprende a viver!

Erika + Ricardo blog (1)

Erika + Ricardo blog (3)

Erika + Ricardo blog (2)

Erika + Ricardo blog (4)

Erika + Ricardo blog (5)

Erika + Ricardo blog (6)

Erika + Ricardo blog (9)

Erika + Ricardo blog (7)

Erika + Ricardo blog (8)

Erika + Ricardo blog (10)

Erika + Ricardo blog (14)

Erika + Ricardo blog (15)

Erika + Ricardo blog (13)

Erika + Ricardo blog (21)

Erika + Ricardo blog (20)

Erika + Ricardo blog (19)

Erika + Ricardo blog (18)

Erika + Ricardo blog (17)

Erika + Ricardo blog (22)

Erika + Ricardo blog (23)

Erika + Ricardo blog (26)

Erika + Ricardo blog (25)

Erika + Ricardo blog (27)

Erika + Ricardo blog (24)

Erika + Ricardo blog (16)

Erika + Ricardo blog (12)

Erika + Ricardo blog (11)

Anúncios